Auxílio Emergencial: 500 mil pessoas vão poder receber até R$ 3 mil

O Auxílio Emergencial ajudou muitas pessoas durante os picos da pandemia, e algumas pessoas ainda vão poder receber um dinheiro com base nesse benefício.

Anúncios

Esse auxílio disponibilizado pelo Governo Federal em 2020 ficou em dívida com muitos pais solteiros que são chefes de família e que não receberam no período o valor dobrado como as mães chefes de família receberam.

Naquele período, o auxílio pagava para os brasileiros R$600, sendo que as mães solteiras e chefes de família receberam cinco parcelas, com o valor dobrado de R$1.200,00 entre abril e agosto.

Mesmo que o programa tenha sido finalizado no mês de outubro do ano passado, um grupo de pessoas ainda tem o direito de receber esse benefício. Entretanto, antes que você comemore pela possibilidade de nova rodada de pagamento, não é disso que se trata.

Na realidade, o governo vai pagar de forma retroativa para quem não conseguiu receber naquele período. Serão valores que estão faltando pagar para o grupo que foi prejudicado por essa falha. Confira mais detalhes a seguir.

Imagem: Pixabay

Quem vai poder receber o Auxílio Emergencial retroativo?

O governo vai liberar esse novo pagamento para os pais solteiros chefes de família que não receberam os valores dobrados do auxílio em 2020, que foram pagos entre os meses de abril e agosto. 

Por isso, cerca de 1,3 milhão de pais solos vão ter o direito de receber até R$3 mil retroativos ao auxílio daquele ano. Sendo que aproximadamente 823 mil já receberam o benefício do programa. Entretanto, aproximadamente 500 mil não receberam ainda os valores retroativos.

Ainda não temos um calendário oficial possuindo todas as datas para os pagamentos. Por isso, vai caber ao Ministério da Cidadania fazer a administração e a distribuição desses valores.

Como todo auxílio social, esse também vai precisar que os pais solteiros que recebiam o auxílio emergencial e possuem direito a esse valor retroativo cubram com alguns requisitos, que são:

  • Família incluída no Bolsa Família em abril de 2020;
  • Registro atualizado no Cadastro Único (CadÚnico);
  • Estar desempregado;
  • Ter renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa da família (R$606) ou até três mínimos para toda a família (R$3.636).

Vão ter direito a esse benefício todos os pais solteiros que não possuem cônjuge ou companheira (o) que ganharam o auxílio emergencial entre os meses de abril e agosto de 2020. Vai ser preciso ter na família uma pessoa menor de 18 anos, que normalmente é o filho.

O motivo para esse pagamento retroativo está no fato de que o presidente da república Jair Bolsonaro vetou, ainda em 2020, o projeto de lei que incluía os homens solteiros e chefes de família no Auxílio Emergencial.

Naquele período, somente as mães chefes de família ganhavam o valor de R$1.200,00. No ano passado, o Congresso Nacional revisou esse veto e em 24 de dezembro o governo publicou a Medida Provisória (MP) 1.084, que destinava R$4,1 bilhões para a ampliação desse benefício.

Como consultar?

Se você acha que tem direito a esse benefício e pretende consultar essa informação, você vai precisar acessar o aplicativo ou oficial do auxílio emergencial. Nele você deverá informar o CPF e o nome completo e o da sua mãe.

Caso não saiba o nome de sua mãe, marque a caixinha “mãe desconhecida”. Depois disso, informe a data do seu nascimento e clique em “enviar”.

Esse auxílio vai ajudar diversos pais de famílias que se sentiram lesados naquele período, pois será R$3.000 em um período de crise que o país vem enfrentando.

Gostou deste conteúdo? Siga-nos no Google Notícias:

COMPARTILHAR
COMPARTILHAR
TWITAR

VEJA TAMBÉM:

Copyright © 2019 – 2021 Dinheiro Bem Cuidado CNPJ: 23.654.977/0001-28

Aguarde…