Auxílio emergencial até o final do ano? Saiba tudo aqui

Publicidade

O auxílio emergencial foi lançado em abril deste ano para ajudar milhões de brasileiros que tiveram a renda afetada pelo novo coronavírus.

Inicialmente, eram previstas apenas três parcelas no valor de R$ 600,00, mas, como a pandemia não acabou, o “coronavoucher” foi prorrogado por mais duas prestações.

Publicidade

Mesmo assim, a vacina ainda não chegou e a doença continua trazendo reflexos na economia, o que gerou uma pressão popular para que o auxílio durasse por mais tempo.

O que você procura?

CARTÃO DE CRÉDITO
 
APROVAÇÃO NO CARTÃO
 
CARTÃO PARA NEGATIVADO
       

Nos últimos dias, houve rumores de que o benefício seria estendido até o final do ano. Mas o que se sabe, de concreto, até agora? É o que vamos revelar neste artigo. Confira!

Publicidade

E a quarta e quinta parcelas do auxílio?

auxílio emergencial
Saiba como fica o Auxílio Emergencial até o final do ano

Quem foi aprovado no programa desde o início (ciclo 1) já recebeu a quarta parcela de R$ 600,00 (ou R$ 1.200, no caso das mães chefes de família) e em breve – a partir do dia 28 de agosto – os depósitos da quinta prestação serão iniciados para os nascidos no mês de janeiro.

Publicidade
Then please attach the following html code to the place in the page where you want our player to be shown:

Porém, quem era beneficiário do Bolsa Família e segue o calendário do programa já está terminando de receber a quinta parte do novo benefício.

Neste outro artigo, falamos tudo sobre a quarta e quinta parcelas e mostramos os calendários completos. Lembrando que são datas diferentes para depósitos e saques.

Caso você tenha sido aprovado no auxílio em outro mês (a partir de maio), as datas são diferentes, mas é possível consultá-las nesta página da Caixa Econômica Federal.

O coronavoucher vai até dezembro?

Embora ainda não haja nada de oficial, o presidente Jair Bolsonaro praticamente garantiu na última sexta-feira (21) que o auxílio emergencial será prorrogado até o final do ano. Seriam criadas, portanto, mais quatro parcelas: setembro, outubro, novembro e dezembro.

Veja também:

CARTÃO DE CRÉDITO
 
APROVAÇÃO NO CARTÃO
 
CARTÃO PARA NEGATIVADO
       

Para oficializar o processo, o governo deve encaminhar uma medida provisória ao Congresso nos próximos dias.

Qual será o valor das novas parcelas?

Jair Bolsonaro afirmou que sua equipe ainda precisa avaliar qual será o valor das novas parcelas do coronavoucher. Porém, ressaltou que o atual valor de R$ 600,00 ficaria insustentável para os cofres públicos, já que representa uma despesa mensal de 50 bilhões de reais ao país.

A quantia defendida desde o início da pandemia pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, era de R$ 200,00 mensais, que depois foi alterada pelo Congresso para R$ 600,00 e o executivo, pressionado, aceitou.

Vale lembrar que o pagamento do benefício aos trabalhadores informais, MEIs, desempregados e pessoas de baixa renda fez elevar os índices de aprovação do presidente, principalmente na região Nordeste, onde seu eleitorado era minoria. Como deve tentar a reeleição em 2022, a prorrogação do auxílio é considerada um fator estratégico para sua campanha.

Embora seja provável a redução do valor das prestações, Bolsonaro afirmou que R$ 200,00 seria pouco. É importante frisar que a medida ainda precisa passar pela Câmara dos Deputados e pelo Senado, que podem alterar a quantia proposta pelo executivo, como aconteceu no ínicio do programa, quando houve o aumento para os atuais R$ 600,00.

Rumores sobre os novos valores:

Apesar de todas as incertezas, a informação que circula em Brasília é de que seriam quatro novas parcelas no valor de R$ 300,00 cada, mas não é algo oficial. Assim que a medida provisória for aprovada e tivermos dados mais concretos, divulgaremos aqui no site.

O Bolsa Família vai acabar?

Uma outra polêmica que surgiu nos últimos dias é a respeito da extinção do Bolsa Família. Inicialmente, o programa seria temporariamente substituído pelo auxílio emergencial – para pessoas que recebiam menos de R$ 600,00 por mês – e depois que o coronavoucher acabasse, seria automaticamente restabelecido.

No entanto, o governo estuda a possibilidade de unificar vários programas sociais em um único, com o nome de Renda Brasil. Ou seja, o Bolsa Família não irá acabar por completo, mas deverá ser substituído.

A tendência é de que o Renda Brasil seja mais amplo, contemplando inclusive alguns beneficiários do auxílio emergencial, e que pague um valor maior (algo em torno de R$250 a R$300).

O ministro Paulo Guedes disse que irá revelar detalhes do novo programa na próxima semana, mas a expectativa é de que ele comece a funcionar já em janeiro de 2021.

Deixe um comentário