Portal de Economia e Finanças

Benjamin Graham e as lições em “O Investidor Inteligente”

0

Benjamin Graham é um dos maiores teóricos sobre investimentos. Seu livro, “Investidor Inteligente”, oferece importantes lições sobre o mundo dos investimentos. Apresentamos aqui as principais lições que você pode retirar da obra. Leia! Acompanhe!

Publicidade

Benjamin Graham e suas lições

Conheça as principais!

Publicidade

Pensar por si mesmo

Pensar por si mesmo é uma das maiores qualidades que um investidor pode apresentar., segundo Benjamin Graham. Assim, é necessário ter personalidade. Isso não quer dizer que não é importante acompanhar a opinião de especialistas sobre o assunto. Muito pelo contrário, é necessário sempre estar atualizado sobre o que os especialistas têm a dizer. Todavia, nem sempre os especialistas estão corretos.

Além disso, especialistas divergem sobre um assunto. E isso é comum. Cabe então ao receptor, isto é, que lê ou ouve, discernir qual opinião é mais convincente.

Saber o que está fazendo

Em uma estrada, é muito melhor saber que está perdido ao continuar dirigindo, sem rumo, com a ignorância de não saber que está perdido. Dessa maneira, é necessário saber o que está sendo feito e porque está sendo feito. Isso se alcança por meio de muitos caminhos, como estudo sobre os investimentos, experiência e análise de relatórios sobre o assunto. O perigoso é continuar na ignorância de fazer apostas no escuro.

E, por falar em apostar no escuro, ressaltamos aqui que investir não é isso. Por isso, é necessário afastar totalmente o ato de investir do ato de apostar.

Adotar a margem de segurança como base da política de investimento

Investir é correr riscos. Isso é verdade desde que o mundo é mundo. Mesmo a poupança, um investimento considerado quase inviolável, já foi confiscada nos anos 1990. Dessa maneira, todo investimento corre algum tipo de risco, seja por parte do governo, seja por parte do setor privado.

Publicidade

Assim, é importante que se adote uma margem de segurança segura, a fim de resguardar os recursos investidos das catástrofes que estão associadas à instabilidade do sistema financeiro.

Relacionar o que é pago e o que é oferecido

Ações com bom desempenho e uma perspectiva boa para o futuro são negociadas a preços altos. Todavia, isso gera um efeito negativo, pois o mercado paga um prêmio pela alta expectativa criada em torno da empresa.

Publicidade

Talvez o maior exemplo dessa abordagem seja realizada por Warren Buffett, que priorizava empresas com boa saúde financeira e consolidadas no mercado, como Coca Cola, Gillette e Washington Post. Mas ele não comprava a qualquer momento, e sim quando algo negativo acontecia, como escândalo, notícia ruim ou grande prejuízo. Assim, comprava as ações em baixa.

Como as empresas são consolidadas, logo as ações voltavam a subir e Buffet ganhou muito dinheiro com essa sua estratégia.

Reconhecer o que é investir e o que é especular

Investimento é uma operação que, após determinado período de tempo, promete segurança do recurso investido e um retorno adequado ao risco e tempo de espera. Já a especulação é uma operação que espera um ganho elevado em um período curto. Em geral, o especulador detém informações privilegiadas sobre o andamento do mercado.

Assim, podemos citar um exemplo. Uma pessoa sabe que um shopping chegará em determinada localidade. Ele então compra diversos imóveis em sua região, para, quando o shopping abrir, obter uma grande valorização.

Publicidade

Sendo assim, Benjamin Graham é um teórico obrigatório para quem quer investir e consolidar seus negócios. Apresentamos, ao longo do artigo, as principais lições que ele apresenta em sua principal obra. Coloque em prática!

Gostou do que leu? Então aprenda a organizar a sua vida financeira!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.