Bolsa Família: saiba se você estará na lista de março do benefício

Entenda como se cadastrar no programa de transferência de renda.

O Bolsa Família é o principal programa de transferência de renda do governo federal e, no momento, atende mais de 30 milhões de pessoas no Brasil inteiro. No entanto, nem todo mundo que vive em situação de dificuldade ainda teve acesso ao programa.

Mas, neste ano, com a volta oficial do Bolsa Família, substituindo o Auxílio Brasil, outras pessoas também poderão se beneficiar. Neste caso, vale ficar atento se vai ter esse direito ou não a receber o dinheiro em março.

Primeiramente, para pleitear o Bolsa Família, precisa ter a inscrição no CadÚnico (Cadastro Único), do governo federal. Isso porque é um espaço onde se controla e se sabe onde estão essas pessoas de baixa renda.

Como se cadastrar para receber o Bolsa Família?

Após o CadÚnico, o futuro beneficiário também deve buscar uma unidade do Cras (Centro de Referência em Assistência Social) mais perto de sua casa. Assim, poderá ter a orientação necessária e todo o encaminhamento.

Leia também: Sisu: Confira se seu nome está na lista. 

Agora, em março de 2023, alguns grupos de famílias poderão entrar no Bolsa Família e receber o auxílio governamental. Neste caso, ainda não terá 100% de garantia de que vai receber o valor.

Então, para ter o direito, a família precisa estar em situação de extrema pobreza, ou seja, com renda mensal de até R$ 105. Além disso, quem vive em situação de pobreza, com renda entre R$ 105,01 e R$ 210, também se torna elegível para receber o Bolsa Família.

Caso esteja nesta faixa de rendimento e tenha acesso ao Cadastro Único, poderá receber. Entretanto, quem já vinha recebendo o antigo Auxílio Brasil anteriormente, vai continuar recendo automaticamente.

Isso desde que se mantenha o estado de pobreza e extrema pobreza previsto. Caso contrário, poderá deixar o programa em uma malha fina do governo, para abrir vagas a novos pretendentes ao Bolsa Família.

Valor do auxílio

Desde janeiro, o valor oficial do Bolsa Família é de R$ 600, considerando ainda o antigo Auxílio Brasil, que tinha esse valor em caráter de emergência. No entanto, isso será mantido, contra os R$ 400 que se pagava até metade do ano passado.

Assim, as famílias de baixa renda continuam normalmente recebendo os R$ 600. A novidade para este ano é que, quem tem filhos de até seis anos de idade, recebe mais R$ 150, limitado a dois filhos.

Portanto, se tiver mais de dois filhos pequenos até seis anos, só receberá por dois, no caso, R$ 300. Somando com o valor do Bolsa Família, poderá chegar a uma renda de R$ 900 por mês.

Logo, se ainda não recebeu ou se eventualmente teve algum problema com o pagamento, também pode procurar uma unidade do Cras para tentar resolver. Mas, pelo próprio aplicativo do Bolsa Família no celular, é possível saber se vai receber ou não.

Keila Andrade

Jornalista especializada em textos em SEO.