Cadastro Único: por que é tão importante?

Saiba como ter o seu para participar dos principais programas sociais

Mais de 70 milhões de pessoas estão cadastradas no CadÚnico, o qual é o Cadastro Único para programas sociais. Esse cadastro é muito importante para quem precisa de qualquer auxílio financeiro do governo federal, e serve como uma espécie de banco de dados para que você seja direcionado para o benefício correto.

Ainda que o número de inscritos seja alto, muitas pessoas deixam de atualizar, o que torna os benefícios passíveis de bloqueio. E você sabe como ter seu CadÚnico para garantir os benefícios, seja qual for ele? Isso porque grande parte dos auxílios cedidos hoje tem relação com o cadastro.

Após essa breve introdução, é hora de saber como ter seu CadÚnico e quais benefícios precisam desse procedimento para serem cedidos. Saiba também como conferir se o seu cadastro está em dia e claro, onde fazer o seu próprio CadÚnico. Pegue papel e caneta e vamos lá!

 

Principais benefícios

Nem todos os benefícios precisam do CadÚnico, como aqueles vinculados ao INSS, mas, atualmente, muitos dependem desse banco de dados para continuarem sendo pagos. Veja quais você pode pedir!

 

Bolsa Família

Com mais dinheiro sendo pago e novas pessoas tendo direito ao benefício, saiba que o primeiro passo é procurar pelo CadÚnico. Atualmente, o Bolsa Família paga R$ 600,00 aos beneficiários, e há um acréscimo de R$ 150,00 por criança da família, desde que cumpram critérios, como estarem na escola e ter o cartão vacinal completo, ou seja, com as vacinas destinadas para a idade.

 

Vale-Gás

Este benefício oferta a metade do valor de um botijão de gás a quem precisa, ou seja, 50% do total. Atualmente, um botijão de 13kg custa pouco mais de R$ 110,00 em média, ofertando ao beneficiário a metade disso. Quando seu cadastro para este benefício é aprovado, não significa que outros serão perdidos, portanto, você pode acumular este e outros pagamentos, como o Bolsa Família.

 

BPC

O Benefício de Prestação Continuada oferta até um salário mínimo para idosos e pessoas com deficiência. Para conseguir o benefício, é preciso também comprovar as condições junto ao INSS, levando exames médicos e outras comprovações que mostram a não condição de sustento financeiro sem auxílio. Para agilizar, busque pelo CadÚnico.

 

ID Jovem

Poucas pessoas conhecem esse benefício, destinado aos jovens. Esse benefício permite aos cadastrados no CadÚnico algumas vantagens, principalmente o grupo entre 15 e 29 anos. Somente informando o número do NIS, você pode pagar mais barato em eventos ou ter vagas gratuitas em viagens interestaduais.

 

Tarifa Social de Energia Elétrica

Famílias de baixa renda, idosos que recebem o BPC, assim como pessoas com deficiência, podem pagar menos na conta de energia através da TSEE. É ideal que o CadÚnico esteja atualizado para os descontos continuarem sendo aplicados ao longo do tempo. Esse benefício barateia os pagamentos todos os meses, a depender da quantidade de renda comprovada pela família e cada atualização de cadastro.

 

Quem tem direito?

Primeiramente, é preciso saber quem tem direito ao CadÚnico, já que nem todo mundo se encaixa nos critérios definidos pelo governo federal. Portanto, famílias que tem renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa e aquelas com valores mensais até três salários mínimos podem fazer o cadastro.

Até mesmo as famílias com renda maior de três salários mínimos podem tentar, mas é preciso que o cadastro esteja vinculado a permanência do beneficiário em programas sociais das administrações municipais, estaduais e federais. Pessoas em situação de rua e não possuem renda também podem ser amparadas pelos benefícios relacionados ao CadÚnico.

 

Como fazer o cadastro?

Agora, a parte mais importante, como iniciar o pedido do seu benefício social. Saiba que você pode iniciar a jornada baixando o aplicativo do CadÚnico, e, com documentos pessoais em mãos, informar cada detalhe sem sair de casa. Neste caso, ainda é preciso concluir esse pedido de forma presencial quando haver a convocação.

Assim, você precisa procurar pelo Centro de Referência e Assistência Social do seu município ou bairro para concluir o cadastro, ou iniciá-lo. Se já há a etapa inicial, busque pelo CRAS para concluir o processo.

Há um prazo para essa etapa ser realizada: 120 dias após preenchimento do pré-cadastro. Já de forma presencial, você deve apresentar os documentos já informados e o cadastro só é concluído quando tudo for comprovado.

 

Documentos necessários

Saiba que a família precisará ter um responsável familiar, e essa pessoa precisa ter 16 anos, CPF e título de eleitor. Atualmente, a preferência é que o responsável seja uma mulher, mas cada membro da família também precisará apresentar todos os documentos pessoais para o cadastro ser aprovado, como:

  • Certidão de casamento ou nascimento
  • CPF e RG
  • Carteira de trabalho
  • Título de eleitor
  • Caso seja indígena, é preciso ter o RANI

 

A falta dos documentos pode inviabilizar a autorização dos benefícios, ou seja, você até pode fazer o cadastro, mas poderá ter benefícios sociais somente quando tiver documentos pessoais com validade em dia.

 

A última etapa para validar o CadÚnico

Todo beneficiário precisa passar por uma entrevista antes de garantir a aprovação no CadÚnico. O assistente social irá perguntar todos os detalhes sobre a família, seus membros, onde moram, sobre as despesas, quem trabalha e estuda, além de confirmar se há pessoas com deficiência e mudanças eminentes na configuração, como por exemplo, um casamento próximo.

Após essa etapa, o membro responsável pela família assina um formulário completo, e recebe um comprovante demonstrando a inscrição no CadÚnico. Após isso, é preciso aguardar pela aprovação. O prazo para confirmação do benefício é de 48 horas e o beneficiário recebe o número do NIS, ou, Número de Inscrição Social, principal controle do governo federal durante o cronograma de pagamento de benefícios.

 

E depois da aprovação?

Após isso, é só tentar pelos benefícios ideais para o caso da família. Os assistentes sociais analisam seu caso e indicam qual o benefício ideal para sua família, com data de recebimento já marcada de acordo com os calendários!

Mônica

Formada em Jornalismo pela UNIGRAN (Dourados), experiente em conteúdos de finanças.