Como começar a investir? Veja 6 dicas

Investir dinheiro pode ser a chave para utilizar bem seu dinheiro

Nos últimos anos, investir dinheiro passou a ser mais acessível para muitas pessoas, mesmo assim uma pequena parcela realmente aplica seu dinheiro em produtos financeiros, como comprova essa pesquisa. Ainda sim, quem guarda dinheiro mantém em poupanças.

Publicidade

Ainda sim, a intenção para este ano era boa: 70% dos brasileiros queriam investir em 2020, uma mentalidade diferente dos últimos anos, um aumento significativo se compararmos com os últimos anos. A intenção é importante, mas a prática precisa ser estudada e avaliada para que tudo dê certo.

Publicidade
Publicidade

Começar a investir pode parecer fácil, mas escolher as melhores opções é mais complicado do que imaginamos. Por isso, para quem pensa em começar a investir, acompanhe as dicas que separamos. Primeiro de tudo, tenha um dinheiro razoável para dar os primeiros passos no mundo financeiro e vamos às dicas.

O que você procura?

CARTÃO DE CRÉDITO
 
APROVAÇÃO NO CARTÃO
 
CARTÃO PARA NEGATIVADO
 
CARTÃO SEM ANUIDADE

O que é investir meu dinheiro?

investir
Conheça as principais dicas para começar a investir!

Investir o dinheiro é uma maneira de render o que você juntou ou guardou durante um tempo. Nem sempre, os rendimentos serão altos ou benéficos, tudo depende de um mercado financeiro que tem constantes altos e baixos, por isso, é importante estudar muito para não errar na escolha.

Publicidade

Se não quiser passar por incertezas, para começar, investimentos de renda fixa podem ser a melhor opção. Esses investimentos já trazem uma previsão do que você vai receber, ainda que sejam opções menos arriscadas que outros investimentos, por exemplo. Os de renda variável não garantem muita música e aí sim, depende da perspectiva do mercado. Um exemplo é o mercado de ações.

Após algumas explicações, é hora de trazer algumas dicas para você começar a investir. Seja pouco ou muito, guardar e aumentar dinheiro é sempre algo que trará boas notícias se feito com sabedoria.

Dicas para começar a investir

Antes de ir para os cálculos, é importante entender que investimento precisa ser rotina. Definir metas, objetivos e também um valor definido para começar essas aplicações sem erro. Vamos lá!

1. Invista com um propósito

Não adianta imaginar investir sem um objetivo. Guardar dinheiro e querer que ele renda por render acaba não sendo válido: a qualquer momento a falta de disciplina pode aparecer. Então, defina uma meta com o valor total que deseja, como por exemplo:

  • Comprar um veículo
  • Adquirir imóvel
  • Pagar alguma dívida
  • Investir em um negócio

Se não tem propósito, tudo bem: guarde até chegar a um valor necessário e invista dinheiro, mas não esqueça da disciplina e não use esse dinheiro aos poucos, ou toda vez que render de forma variável. Os de renda fixa são indicados para objetivos a longo prazo.

Veja também:

CARTÃO DE CRÉDITO
 
OUTROS CARTÕES
   

2. Pesquise e estude antes de investir

Procure cursos, converse com quem entende do assunto e tire um tempo para pesquisar as melhores corretoras que possam te indicar as opções certas. Começar com pouca bagagem pode acabar mal, fazendo com que você perca o dinheiro que guardou para isso ou até mesmo nem invista corretamente.

3. Selecione as melhores opções para cada momento

Começar investimento em opções de renda variável, como os fundos de investimento, por exemplo. Há opções que oferecem pouco investimento, mas que ainda sim, são arriscadas. Então, não pule etapas: se puder ter uma consultoria, melhor ainda! Pesquise como começar e seja sincero quanto a suas possibilidades para que o caminho inverso não te tire no mercado financeiro rapidamente.

4. Diversifique os investimentos

Quando sentir que está dando tudo certo e que os investimentos de renda fixa e variável começam a dar resultados, comece a diversificar e procure opções diferentes entre si. Isso porque, em caso de um não estiver tão bem, outro pode estar. Então, não “coloque os ovos na mesma cesta” e não esqueça de consultar quem pode te indicar as melhores opções.

5. Saiba os conceitos básicos para investir

Entender detalhes básicos e os termos na hora do investimento não te colocará em ciladas durante a rotina. Para aprender isso, é preciso “respirar” o mercado financeiro: acompanhar todos os dias e estudar o máximo que puder, afinal, é o seu dinheiro que está lá! Veja os termos principais

  • Risco
    O risco não é muito diferente no contexto de investimento: é quando você investe sabendo que algo vai dar errado. Lidar com risco é impossível de fugir nesse contexto. O que o investidor precisa é sempre prever o risco e poder sair bem dele.
  • Liquidez

Existem opções que oferecem alta liquidez e outras menos. A liquidez representa o nível de dificuldade ou facilidade de retirar o investimento.  Ações de alta liquidez, como e grandes empresas possuem um grande volume de negociações e mais dificuldades.

  • Retorno
    É a hora da rentabilidade, quando o  investidor consegue levar a aplicação financeira.A rentabilidade é expressa em percentual, como 10% de ganho, etc. A importância de verificar o retorno é primordial para garantir os melhores negócios.
  • Diversificação
    Já falamos sobre a variedade de investimentos e como é importante que um investidor tenha muitas opções, para que sempre tenha algum rendimento em alguma carteira ou aplicação.

6. Abra uma conta na corretora

Escolha uma corretora de confiança, que tenha boas indicações no mercado e que deixe seus dados seguros. Acompanhe sempre o que estão fazendo com seu dinheiro e quais os motivos de cada manobra ou investimento. Não esqueça de evoluir sempre e consultar a corretora para saber se é hora de expandir a carteira. Lembre-se de não colocar dinheiro em qualquer lugar!

Conclusão

Investir é coisa séria. Trouxemos dicas básicas, que podem te ajudar no início e no meio da caminhada. Só você saberá quando é a hora de se tornar um investidor agressivo, por isso não tente pular etapas para conseguir cada vez mais dinheiro, por que isso pode não acontecer. Cautela, disciplina e estudo são as chaves da maioria dos investimentos, sejam eles fixos ou variáveis.