Empréstimo de Penhor da Caixa disponível para negativados; Aprenda a solicitar

Publicidade

Para quem acabou se complicando nas finanças e precisa de dinheiro rápido, o Penhor da Caixa pode ser uma ótima opção.

Essa modalidade de empréstimo é bem prática e acessível para todos, mesmo para aqueles que estão negativados, já que não há consulta aos órgãos de proteção ao crédito, como o SPC e a Serasa.

Publicidade

Se você está precisando de crédito, mas está com o nome sujo, continue lendo este artigo, pois vamos lhe informar o que é o Penhor da Caixa e como fazer para conseguir solicitá-lo em uma agência do banco.

Penhor da Caixa: como funciona?

Empréstimo de Penhor da Caixa
Saiba como funciona o Empréstimo de Penhor da Caixa!

Como o próprio nome já diz, é uma modalidade de empréstimo na qual um bem pessoal será penhorado, ou seja, entregue como garantia para o pagamento da obrigação que, no caso, é o dinheiro que foi dado ao solicitante como crédito.

Publicidade

Entretanto, ao invés de dar um imóvel como garantia para o procedimento – como acontece na maioria dos bancos – o cliente poderá usar um bem móvel e precioso.

Esses bens podem ser:

  • Joias
  • Metais nobres
  • Canetas de valor
  • Relógios de valor
  • Diamantes
  • Pérolas
  • Pratarias

Antes de conseguir o empréstimo, porém, o objeto deverá ser avaliado na própria agência da Caixa Econômica Federal por um funcionário especialista no assunto, para verificar a originalidade e o valor de mercado do item.

Publicidade

Caso ele se encaixe nas regras do penhor, ficará guardado em um cofre do banco até que o cliente quite o empréstimo e possa pegá-lo de volta.

Quanto eu consigo pegar emprestado?

Se, depois de avaliado, for constatado que o bem é original e está apto para ser penhorado, o cliente pode pegar emprestado no mínimo R$ 50,00 e no máximo, geralmente, até 85% do valor do objeto como crédito.

Entretanto, caso ele também receba o crédito salário em uma conta da Caixa, essa porcentagem pode subir para até 100%.

Publicidade

Qual é o prazo para o pagamento?

O solicitante tem o prazo de 30, 60, 90 ou 180 dias para pagar, mas pode renová-lo quantas vezes for preciso.

O pagamento é feito uma única vez, no momento de resgate do bem penhorado. Também há a possibilidade de antecipar a retirada, ganhando um desconto proporcional nos juros da operação.

Quais são as vantagens do Penhor da Caixa?

  • Sem consulta ao SPC, Serasae demais órgãos de proteção ao crédito
  • Disponível para negativados
  • Procedimento rápido e menos burocrático
  • Taxas de juros menores que as de outras modalidades de empréstimo(durante o período de pandemia, os juros estão a partir de 1,99% ao mês)
  • O cliente sai com o dinheiro na hora
  • Contrato de empréstimo pode ser renovado quantas vezes for preciso
  • O bem fica protegido pelo próprio banco e será devolvido assim que o empréstimo for quitado

Como solicitar o empréstimo?

  1. O solicitante deve entrar neste linke consultar a agência da Caixa Econômica mais próxima e que ofereça o serviço de penhor
  2. Ir até a agência com o bem que pretende penhorar, levando documento de identidade, CPF em situação regular e comprovante de residência
  3. Solicitar o empréstimoe aguardar a avaliação do bem pelo funcionário (feita na hora)
  4. Escolher o prazo do contrato
  5. Pronto! Você já pode sair com o dinheiro e resgatar o objeto assim que quitar o empréstimo

E se eu não conseguir pagar?

Caso a pessoa não consiga pagar o valor que pediu emprestado, o objeto entregue será leiloado pela Caixa Econômica Federal, a fim de quitar a dívida. O banco costuma dar um prazo de 30 dias após o vencimento do contrato para colocar o item em leilão.

Lembrando que o cliente pode optar pela renovação do contrato. Porém, novos juros e encargos serão cobrados.

Vale a pena?

Se a pessoa estiver precisando de dinheiro com urgência e enfrentando dificuldades para conseguir outras modalidades de crédito, seja pelo fato de estar negativada ou com Score ruim, o empréstimo por meio de penhor da Caixa Econômica é uma boa solução.

Os juros são baixos, o procedimento é pouco burocrático e o cliente não precisará dar a própria moradia como garantia, como no caso de empréstimos que usam imóveis para quitar uma possível inadimplência.

Por outro lado, como em qualquer outra operação de crédito com cobrança de juros, é preciso que o solicitante tenha disciplina e organização financeira. Caso contrário, perderá um bem que, além do valor material, costuma também ter um valor sentimental para a pessoa.

Quer mais conteúdo? 

Deixe um comentário