Pix: o que mudou?

A transação de pagamentos instantâneos tem novas regras; saiba tudo

Criado em 2020, o Pix surgiu como uma alternativa em um ano de isolamento. Era a maneira de realizar transações sem sair de casa, em uma época que as transferências comuns já não resolviam o problema. Então, a alternativa pensada no governo Temer se tornou real no primeiro ano do governo Bolsonaro.

Basicamente, o Pix foi disponibilizado nos principais bancos digitais e tradicionais do país. Na época da divulgação, a promessa era de que em apenas dez segundos o dinheiro estava na conta, o que hoje ainda não se tornou realidade, já que o Pix demora em média 1 minuto em suas transações, independentemente se forem bancos iguais ou não.

Portanto, é só abrir a aba do Pix em sua conta preferida, digitar a chave do receber e realizar o pagamento, independentemente da hora ou lugar. A seguir, vamos te explicar melhor como o Pix funciona, detalhar sobre sua segurança e o que muda com o novo governo. Acompanhe!

 

Pix: como funciona?

Basicamente, o Pix funciona como as tradicionais transferências bancárias, só que enviando e recebendo dinheiro de forma muito mais rápida. Para acessar o Pix, basta ter uma conta bancária que o banco tenha aderido à modalidade, mas, a maioria aderiu. Para realizar seu Pix, é preciso criar uma chave de segurança.

Você pode escolher entre uma chave aleatória, o seu CPF, e-mail ou número de celular, bem como quem recebe as transferências também. Assim, é só escolher o valor, digitar a chave e enviar o dinheiro, ainda que quem recebe não tenha conta no mesmo banco que você, os valores sempre caem na hora.

Muita gente fala da insegurança das transações, mas, é preciso saber que o Pix é regulamentado pelo Banco Central sendo protegido. Infelizmente, muitas pessoas caem em golpes, mas isso também é comum em diversos tipos de transações bancárias. 

Não há limite para pagamentos com Pix e você pode utilizar a chave de segurança para pagar contas, realizar transferências e muitas outras opções, através, também, do Pix Copia e Cola.

 

Pix Copia e Cola

Muitas empresas oferecem essa alternativa de pagamento para facilitar a vida dos clientes. Até mesmo grandes multinacionais como a Amazon optam pelo Pix Copia e Cola, que nada mais é do que uma opção onde um código é copiado e o pagamento também cai na hora. Isso acelera a chegada de produtos e serve muito para contas básicas, já que sinais bloqueados, por exemplo, tem pagamentos reconhecidos na hora.

 

Pix parcelado

Muitos bancos digitais aderiram ao parcelamento do Pix como alternativa aos clientes que não querem gastar os limites do cartão de crédito e realizar compras. Um dos bancos que oferecem o Pix parcelado é o Nubank, onde o cliente seleciona essa maneira de pagamento e na hora de pagar, escolhe a quantidade de parcelas e data de pagamento.

Se for um Pix parcelado no crédito, ele vencerá na mesma data do cartão, mas se o parcelamento não estiver atrelado ao cartão, a data de descontos será da efetivação da compra, sendo que quem receberá o pagamento recebe de forma instantânea

 

Pix: novas regras

Em 2022 o Pix bateu um recorde de 100 milhões de transações no país em menos de 24h. Isso demonstra a segurança, utilização e praticidade da modalidade, que continua mesmo após mudanças no governo federal. Primeiramente, não há mais limite estabelecido por transação. Além disso:

 

  • O pix não tem mais limite individual por transação, valendo limites diários diurnos ou noturnos, assim, o usuário faz transferências de uma só vez ou pode realizar várias transações. A instituições financeiras tem até 48 horas para oferecer as ampliações limites.
  • Muda-se o horário do limite noturno. Agora, os usuários podem realizar pagamentos começando às 22h e encerrando as 6h da manhã, antes transferências baixas poderiam ser feitas somente até as 20h.
  • Com o Saque e Troco, aumenta-se os valores. Isso significa que antes, estava disponível sacar ou receber troco de R$ 500 ao longo dia e até R$ 100,00 á noite, agora, as quantias são de R$ 3 mil de dia e R$ 1 mil a noite.
  • Não há mais limite para transferências entre contas de pessoas jurídicas, agora, as instituições financeiras podem escolher o valor máximo para ceder a clientes.
  • As compras agora têm o mesmo limite de TEDs, antes, esses limites tinham relação direta com os cartões de débito
  • O Tesouro Nacional agora pode pagar aposentadorias, salários do funcionalismo e pensões através do Pix associados a contas-salários.
  • Antes, a maioria dos correspondentes bancários não eram adeptos do Pix. Agora, cada correspondente poderá ter uma conta para receber e movimentar valores através do Pix.

 

Todas as novidades estão valendo desde o dia 2 de janeiro, e se acaso sua instituição financeira ainda não respeite as regras, é preciso cobrar cada banco para que você seja atendido de forma correta. A partir de julho deste ano, as instituições financeiras também serão obrigadas a liberar alternativas para os clientes movimentarem seus limites e escolherem como quiser no período noturno.

 

Pix: não caia em golpes

Primeiramente, saiba que é possível cair em golpes com o Pix. O primeiro a ficar atento, é o de clonagem de WhatsApp, onde os criminosos “pescam” a vítima se passando por alguma empresa confiável, solicitando que um clique seja feito em um link que chega por SMS.

Depois, seus contatos recebem mensagens pedindo Pix, com alguém se passando por você.

Outro bastante comum é do de “bug no Pix”, onde o bandido envia informações falsas por vídeos ou mensagens, onde afirmam falhas no sistema do Pix e pedem uma quantia em dinheiro a vítima. A resolução só acontece com o depósito, mas, há também a promessa de que o valor em dobro é depositado.
No fim, você só está depositando valores na conta de criminosos e ainda pode nunca ter o dinheiro de volta, já que essas pessoas criam chaves difíceis de ser rastreadas, sem relação com nomes verdadeiros, por exemplo. Portanto, cuidado!

CAIXA TEM - INFORMAÇÕES: