Pronampe atrasado e auxílio para informais – Veja as novidades

Paulo Guedes, ministro da economia, confessou ontem que a reedição do Pronampe atrasou, a entrevista do integrante do governo aconteceu em uma reunião na Câmara dos Deputados.

Anúncios

Entretanto, mesmo com o atraso, sabe-se que o programa está pronto e deve sair a qualquer momento, segundo ele.

Além disso, o governo está trabalhando para lançar em breve o Bônus de Inclusão Produtiva (BIP), focado nos trabalhadores informais.

Anúncios

Ministro da Economia dá declarações polêmicas com pouco foco em combate a pandemia e pronampe

O ministro falou por mais de cinco horas em uma reunião conjunta com as quatro comissões da Câmara, no mesmo momento em que o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta estava depondo na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia.

Para o ministro da economia, a CPI pode levar o setor público a desacelerar as ações que são em prol a pandemia.

Além disso, Paulo Guedes foi cobrado pela reedição de medidas de combate à pandemia e passou uma boa parte do tempo dando explicações sobre as suas declarações polêmicas.

Alguns dos temas mencionais foram:

Anúncios
  • As pessoas que desejam viver mais de cem anos;
  • Os chineses inventando o novo coronavirus;
  • O Fies ter beneficiado o filho do seu porteiro, que teria zerado a prova.

Suas declarações irritaram fortemente os deputados da oposição, mas ele não se irritou.

Depois de Pronampe, governo irá focar nos “invisíveis”

Neste momento, o maior desafio do governo é lidar com os invisíveis, ou seja, os trabalhadores informais, segundo Guedes.

O BIP será focado nos chamados “nem-nem”, jovens que nem estudam e nem trabalham.

Além disso, ele convidou os deputados a formularem, em conjunto com o governo, um plano para erradicar a miséria em quatro a cinco anos.

A ideia central é conseguir distribuir para a população mais pobre parte dos recursos obtidos com privatizações e com os dividendos das empresas estatais.

Auxílio Emergência vai substituir Bolsa Família

Outro tema que o ministro da Economia abordou foi o Bolsa Família e o auxílio emergencial.

Ele reforçou que o auxílio emergencial deverá ser substituído pelo Bolsa Família e que programas de transferências de renda precisam ser feitos com base em financiamentos sustentáveis.

Além disso, ele fez questão de elogiar o programa criado pelo PT.

CPI na Pandemia para Guedes é “tribunal de guerra

Já sobre o CPI da Pandemia, Guedes disse que tem receio de que a instalação de um “tribunal de guerra” neste momento, acaba afetando o combate à doença.

Segundo ele, o governo quer saber quem errou e quem não errou, entretanto, em guerras, só depois que o combate termina é as medalhas são distribuídas e o “tribunal” é criado.

Ainda segundo ele, ninguém para no meio de uma guerra para prender um general, um sargento que atuou errado.

Além disso, ele considera que a partir das investigações, os gestores podem acabar se tornando mais cautelosos em liberar recursos.

E as falhas podem não estar somente dentro do governo federal, já que segundo o ministro, vai aparecer de tudo, se referindo ao uso, por Estados e municípios, de recursos da saúde para pagar outras despesas.

 

Anúncios
Rolar para cima