Quer sair do vermelho? Confira 6 dicas certeiras!

Você está motivado a conseguir a sair do vermelho? Ótimo, estamos aqui para lhe ajudar. Há vários motivos que podem fazer com que a gente gaste ou precise de mais dinheiro do que de fato temos. Opções de empréstimos e cartões de crédito estão disponíveis para dar uma força nestas horas, entretanto, se não forem bem utilizados, podem fazer com que os números vermelhos assombrem nosso dia a dia.

Anúncios

Seja qual for o seu motivo pelo qual lhe fez entrar no vermelho, hoje estamos aqui com dicas certeiras para lhe ajudar a sair. Acompanhe!

Faça um estudo de tudo que você deve

Essa é uma das atitudes que as pessoas costumam não fazer, pois tem medo de ver o montante total na qual precisam pagar. Porém, esse é o primeiro passo para você conseguir fazer um planejamento realmente efetivo e conseguir sair de uma vez por todas do vermelho.

Veja alguns detalhes de como fazer:

• Lista todas as suas contas atrasadas e também a porcentagem de juros que são gerados a cada mês e quais incidem juros sobre juros.
• Observe as que possuem maiores juros, pois é nessas que você terá que focar para pagar primeiro.
• Identifique também contas importantes, como por exemplo, energia elétrica, para que você e a sua família não precise passar por situações desagradáveis durante essa época financeiramente ruim.

Uma dica aqui é que as dívidas mais altas de cartão de crédito e cheque especial são as que, normalmente, incidem mais juros. Você pode estar pagando até 18% de juros a cada mês em uma dívida como essa.

Quer entender como isso funciona? Imagine que você está devendo R$1000 e tem uma taxa de juros de 18%. No primeiro mês, estará pagando R$1180. Caso não haja o pagamento, pagará mais 18% do valor total. Ou seja, a sua dívida estará em R$1392 e assim por diante. É por isso que costumamos falar que isso é uma bola de neve que não tem fim se não for bem gerenciada.

Faça um estudo do seu orçamento financeiro familiar

O fato é que você não pode utilizar todo o dinheiro que ganha para pagar dívidas atrasadas. Você tem contas fixas que também devem ter atenção mensalmente.

Se você não faz ideia do quanto é o seu custo de vida atual, é hora de sentar e analisar esses gastos também. O objetivo aqui é você listar todos os seus gastos essenciais, ou seja, aqueles que você depende para viver. Isso inclui apenas o suprimento das necessidades básicas como:

• Alimentação em casa;
• Pagamento das contas básicas essenciais;
• Transporte para ir ao trabalho.

Vale lembrar o que não é considerado um gasto essencial:

• Passeios no shopping e lojas;
• Compra de roupas que estão em promoção;
• Refeições em restaurantes;
• Passeios durante a semana ou final de semana.

Isso tudo é lazer e, quando estamos no vermelho, o lazer não é prioridade. Outra dica é você se sentar com a sua família e explicar a situação. Essa situação necessita da ajuda de todos da casa. Falar sobre dinheiro com seus filhos é uma forma de oferecer educação financeira e aproveitar para explicar como funcionam os juros, os empréstimos e outros assuntos relacionados ao dinheiro.

Renegocie as dívidas

Todos os órgãos têm interesse em renegociar uma dívida. Às vezes, é possível baixar a parcela, congelar os juros ou ter descontos para pagamentos totais à vista.

Busque todas as instituições nas quais você deve e busque uma renegociação que caiba de forma melhor no seu bolso. Você pode propor uma proposta de pagamento que esteja de acordo com as suas possibilidades financeiras.

Busque recursos financeiros

Para sair do vermelho, precisamos de dinheiro. O mais indicado é: se você tem um imóvel ou algum bem de valor considerado, venda-o. Pode ser a casa na praia, o carro, um apartamento, uma sala comercial, um terreno. Essa é a forma mais barata de conseguir dinheiro, sem ter que fazer novos empréstimos e pagar mais juros.

Se esse não for o seu caso, a segunda opção é você recorrer a familiares ou amigos de confiança para lhe ajudarem nesta situação difícil. Você pode acordar pagamentos parcelados e com juros menores.

Se nenhuma das opções acima estiver ao seu alcance, indicamos que você busque empréstimos que tenham juros mais baixos que você esteja pagando no momento para conseguir quitar uma dívida.

Por exemplo, você está devendo R$1000 a juros de 18%. Busque opções para pegar um empréstimo de R$1000 para quitar essa dívida por inteiro, mas que tenha um juros menor. Um empréstimo pessoal pode ser encontrado, por exemplo, com taxas de juros de 10%.

Mantenha a disciplina para os pagamentos

De nada adianta você chegar até aqui e começar novamente deixar de pagar as suas parcelas de empréstimos. É necessário que você tenha disciplina para alcançar o seu objetivo final.

Acredite que as dívidas têm sim fim, e você se sentirá orgulhoso por ter conseguido sair do vermelho.

Os pequenos sacrifícios diários para economizar são fundamentais. Viva somente com o essencial por um tempo para depois começar a usufruir dos prazeres da vida de forma mais digna.

Entenda a importância da reserva de emergência

Lembra que você fez um estudo de quanto são os seus gastos mensais para você manter a sua família durante um mês? Então, esse custo deve ser multiplicado por 6. O resultado final é o valor total mínimo da sua reserva de emergência. Ela deve estar em um investimento de alta liquidez, ou seja, que você possa acessar a qualquer momento.

A reserva de emergência deve ser usada, assim como o nome já diz, em casos de emergências, como por exemplo: perda de emprego, problemas de saúde, problemas de encanamento em casa, acidente de trânsito, etc. Ele é o recurso que você terá em caso de precisar dinheiro extra e sem a necessidade de recorrer a um empréstimo e pagar juros.

Vale lembrar que esse dinheiro não deve ser destinado a: pagar férias da família, comprar carro, fazer compras no shopping ou comer em restaurantes. É apenas para emergências.

A sua reserva de emergência deve ser inicia tão logo você quitar as suas dívidas. O valor mensal depositado lá deve ser em torno de 10% da renda total da família.

Gostou deste artigo? Aproveitamos para convidar você a ler sobre os aplicativos de celular que podem ajudar você a acompanhar as suas finanças e tornar essa rotina mais prática.

Gostou deste conteúdo? Siga-nos no Google Notícias:

COMPARTILHAR
COMPARTILHAR
TWITAR

VEJA TAMBÉM:

Copyright © 2019 – 2021 Dinheiro Bem Cuidado CNPJ: 23.654.977/0001-28

Aguarde…