Revisão de vida toda 2022- veja quem tem direito

Descubra nesse artigo quem tem direito a solicitar revisão de vida toda e se vale a pena fazer a revisão!

Anúncios

Em fevereiro de 2022, o STF, garantiu o direito aos aposentados pelo INSS solicitarem à revisão de vida toda. Essa revisão, se refere a um ajuste devido a um problema que houve na reforma previdenciária em 1999.

Entenda mais detalhes de como vai funcionar a revisão de vida toda, siga a leitura.

Veja também:

Revisão de vida toda: o que é?

revisão de vida toda

Basicamente a revisão de vida toda é uma ação na justiça para avaliar os efeitos negativos que a Reforma Previdenciária de 1999 causou em algumas aposentadorias.

O motivo dessa revisão se dá pelo fato de que quem se aposentou após 29 de novembro do ano da reforma, mas contribui desde 1994, não teve esse valor contabilizado e acabaram se prejudicando.

Vale lembrar aqui que em 1994, foi implantado o plano Real. As pessoas acabaram contribuindo em dois planos econômicos, mas o salário foi contabilizado com prejuízo.

Como vai funcionar essa revisão em 2022?

Quem deseja fazer revisão de vida toda precisa entrar com uma ação judicial contra o INSS. O ideal é que seja acompanhada por um especialista nesses casos. Além disso, é necessário ter em mãos documentos que façam a comprovação dos valores que foram perdidos.

Com a documentação, será possível fazer os cálculos e dar o pontapé inicial para a ação de revisão de vida toda. Esse cálculo define também o valor de atrasados que o beneficiário poderá receber.

Com isso, será possível analisar e ver se realmente vale a pena entrar com a ação judicial.

De quem é o direito a solicitar a revisão de vida toda?

Nem todas as pessoas que se aposentaram após 26 de novembro de 1999, terão direito a essa revisão.

Segundo o INSS, pode solicitar a revisão apenas quem se aposentou nos últimos 10 anos e deve ter sido antes da última reforma de 2019.

Solicitação da revisão de vida toda

O único caminho para fazer a solicitação da revisão é através de ação judicial e você precisa dos seguintes documentos:

  • Cálculo do tempo de contribuição.
  • Carnês;
  • Carta de concessão da aposentadoria, ou então processo administrativo da concessão;
  • Carteiras de Trabalho;
  • CNH ou RG;
  • CNIS, caso não tenha pode consultar pelo site ou então app do Meu INSS, através de login e senha de cadastro;
  • Comprovante de endereço recente;
  • CPF;
  • Procuração dando poder ao advogado para responder por você sobre a ação.

Vale a pena solicitar a revisão de vida toda?

A revisão de vida toda vale a pena para quem tinha salários altos antes do plano real. Portanto, quem recebia salários baixos, ao solicitar a revisão, pode até mesmo baixar o montante do benefício.

Por isso, a importância de consultar um especialista na causa, assim evita de solicitar a revisão e depois se arrepender.

Além disso, vale destacar que essa revisão não se destina apenas para aposentadoria por tempo de serviço. Ou seja, ela também se aplica à aposentadoria por invalidez, pensões por morte e auxílios doença.

Qual a relação do STF nesta situação?

O STF tem muita relação com a revisão de vida toda, pois eles que faziam o julgamento da precedência do pedido de liberação da revisão. Mesmo autorizando o STF tentou argumentar que essa revisão pode gerar uma perda de R$ 360 milhões para o governo.

Claro, que todo esse movimento perpassou por vários pontos, pois há ministros que concordam e outros discordam. Mas, teve aprovação com 5 votos favoráveis e 1 contrário.

Portanto, agora que você entendeu mais detalhes sobre a revisão de vida toda, consulte um especialista e verifique se realmente vale a pena você recorrer.

Gostou deste conteúdo? Siga-nos no Google Notícias:

COMPARTILHAR
COMPARTILHAR
TWITAR

VEJA TAMBÉM:

Copyright © 2019 – 2021 Dinheiro Bem Cuidado CNPJ: 23.654.977/0001-28

Aguarde…