Seguro-desemprego – Governo pretende diminuir valor das parcelas

Algumas mudanças ligadas ao seguro-desemprego passaram a serem estudadas pelo governo e uma delas está ligada ao cálculo do benefício.

Anúncios

Quais são as mudanças avaliadas para serem feitas?

Atualmente, os trabalhadores que são dispensados sem justa causa pode receber de três a cinco parcelas com um valor já fixado.

Pela ideia que está sendo elaborada, o beneficiário agora receberia uma redução de 10% a cada mês que recebe, desde que for respeitada o valor em um dos meses de salário mínimo, que é de R$ 1.100.

Anúncios

Nesse caso, essa redução de 10% a cada mês será aplicada sobre o valor do benefício inicial.

Anúncios

Suponhamos então que você tenha direito a cinco parcelas de R$ 2.000, por exemplo, você vai receber esse valor no primeiro mês.

Já no segundo mês você vai receber R$ 1.800, no terceiro mês R$ 1.600, no quarto R$ 1.400 e no quinto R$ 1.200.

Se você precisar recorrer ao benefício outra vez no futuro, você passa pela mesma situação.

Anúncios
Anúncios

Quais são as expectativas do governo com a mudança do seguro-desemprego?

A ideia do governo é que essa mudança afete apenas uma parte dos beneficiários, já que uma boa parte dos trabalhadores já acessam o valor mínimo do seguro-desemprego.

Assim, essas pessoas não seriam o alvo da redução. No mês de fevereiro, por exemplo, o valor médio do benefício acabou ficando em R$ 1.361,78.

Momento ruim para diminuir o valor?

A mudança do seguro-desemprego, está sendo elaborado em um momento em que o país passa pela piora da pandemia no mercado de trabalho e as incertezas que a economia brasileira apresenta.

Segundo apurou o jornal Estadão, a equipe econômica entende que as medidas não são nem um pouco confortável, principalmente por conta da falta de emprego.

Entretanto, eles consideram que a mudança é fundamental para se recuperar essa atividade.

Além disso, segundo a equipe econômica, essa é vista como a única alternativa para conseguir bancar uma nova edição do programa que irá permitir acordos de redução na jornada de trabalho e do salário, até mesmo a suspensão de trabalho.

RECOMENDADO PARA VOCÊ:

CONTA + CARTÃO DE CRÉDITO PAN
   

Seguro-desemprego – Time econômico deseja utilizar pouco dinheiro do governo

Depois do aumento das dívidas públicas no Brasil em 2020, em razão dos efeitos da pandemia do coronavírus, a equipe econômica está mais focada em soluções que acabem dependendo menos dinheiro do governo para evitar o descontrole das contas.

A partir da avaliação econômica, mesmo que aconteça a redução do salário do funcionário, por exemplo, o governo prevê o pagamento de uma compensação, além de assegurar a permanência do emprego por um período.

Mudanças no pagamento em determinados momentos

No modelo que está sendo desenhado pela economia, o trabalhador que conseguir um emprego novo durante o aviso ou mesmo antes de receber o seu primeiro pagamento do seguro-desemprego vai ter o direito de receber 50% do valor da prestação.

Se ele for contratado antes de sair o repasse da segunda parcela, vai receber 30% do valor que está previsto.

 

Mesmo que existe uma expectativas para que essas mudanças aconteçam, o Congresso não costuma receber bem esse tipo de modificação e o governo deve enfrentar algumas resistências.

Anúncios

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima