Transferências pelo Pix deixarão de ser gratuitas?

Muitos se perguntaram se o serviço deixaria de ser gratuito com o lançamento da nova ferramenta.

Desde seu lançamento em 2020, o Pix se consolidou cada vez mais como um sistema de transferência. Muitos se perguntavam se o serviço deixaria de ser gratuito com o lançamento de novas ferramentas.

O sistema tem demonstrado muitos benefícios para a população, como melhorar a competitividade no mercado, incentivar o acesso eletrônico, promover a inclusão financeira, entre outros.

Outro fator relevante deste serviço é que não há limite para o valor da transferência, portanto é possível negociar a partir de 0,01 reais.

Até agora, não houve divulgação oficial do que a Pix cobra. O banco central defendeu a ideia do serviço continuar a acompanhar a oferta gratuita.

Nova função

Com o sucesso do serviço, o banco central está trabalhando em novas ferramentas para o sistema. Conheça alguns:

  • Pix Garantido (versão 2023 confirmada);
  • pagar por método;
  • cobertura internacional;
  • Débito automático.

O sistema já conta com dois novos modelos, Pix Saque e Pix Troco, anunciados pelo banco central em novembro de 2021. Essas novidades agilizaram muito os pagamentos em todo o Brasil, e isso vem incomodando alguns banqueiros.

Acontece que o Pix acaba sendo feito a todo momento sem a necessidade de pagamento de taxas, e isso reduziu um pouco o lucro dos bancos. Mesmo sendo um sistema automático, os bancos querem taxar esse sistema, o que para muitos seria algo péssimo. E para você, qual a sua opinião sobre essa possível taxação do pix?

Edson

Iniciando o primeiro período na faculdade de cinema e redator. Trabalhando com a escrita desde 2018, sempre encarei os meus textos com grande responsabilidade, e escrever sobre finanças e economia não vai ser diferente. Descomplicar esses temas para o público geral com certeza é o meu maior desafio, e espero que vocês me acompanhem nessa.