O que é o SPC e qual a sua finalidade?

Muita gente sente um arrepio na espinha só de pensar na sigla “SPC”. O Sistema de Proteção de Crédito (SPC) tem grande importância para a segurança e a solidez do mercado brasileiro, embora seus efeitos causem desconforto a muitas pessoas. Neste texto você irá entender sobre o que é o SPC e qual a sua finalidade.

Anúncios

Você pode ficar bem informado em menos de 10 minutos. Confira conosco!

Saiba mais sobre o SPC

spc
Saiba tudo sobre o SPC

O que é?

O SPC é um sistema unificado que conta com um banco de dados nacional com informações sobre o comércio, mais especificamente, sobre a credibilidade dos clientes. Para obter dados atualizados e precisos de compradores de todo o Brasil, o SPC reúne informações de mais de 2.200 entidades que atuam na proteção do crédito de Norte a Sul do país.

Anúncios

As empresas do comércio, prestadores de serviços e instituições financeiras são os maiores usuários dos dados disponibilizados pelo SPC. Se você tentou fazer uma compra a prazo, um financiamento, consórcio, empréstimo ou adquirir um produto com pagamento parcelado, a empresa com a qual você fez negócio certamente fez uma rápida pesquisa ao SPC.

Esse sistema guarda informações sobre os hábitos de compra dos clientes, especialmente sobre pagamentos e seus atrasos. Por isso, clientes que não pagam suas compras em dia ou dão calote nas aquisições que realizam têm seu nome negativado no SPC.

Mais recentemente, o SPC tem oferecido outros serviços às pessoas, como cursos de educação e planejamento financeiro, além de soluções em consultoria de crédito a empresas de diversos portes em todo o país. Mas sem dúvida, a principal atuação do SPC hoje diz respeito ao seu cadastro de negativados.

Qual a finalidade?

O SPC existe para proteger o crédito no Brasil. Quando falamos em crédito, não estamos nos referindo apenas à contração de empréstimos e financiamentos, mas sim, ao conceito amplo relacionado à capacidade de se endividar e arcar com seus débitos dentro dos prazos estipulados.

Anúncios

Quando muita gente deve e não paga suas contas, a economia brasileira entra em um desequilíbrio financeiro que pode ter efeitos catastróficos, como severas crises, quebra de empresas, desemprego, déficit nas contas públicas, interrupção de serviços, entre outras consequências nada desejáveis para o país – e que já acontecem em alguma medida.

É por isso que o SPC é tão importante para a economia nacional, apesar de ter a desagradável tarefa de negativar os maus pagadores. Em uma nação com mais de 63 milhões de inadimplentes (dados do IBGE), a proteção ao crédito tem um papel fundamental para evitar maiores danos à economia e à qualidade de vida do brasileiro.

Em uma escala menor, a atividade do SPC permite a lojistas, empresários e investidores ter mais segurança na hora de fazer negócios, evitando prejuízos e reduzindo consideravelmente o risco de calotes por maus pagadores. É, portanto, um sistema que traz benefícios ao país, bem como aos agentes ativos da economia.

Como funciona o SPC?

As mais de 2.200 entidades que compõem o SPC fazem registros de quase todas as transações comerciais feitas diariamente em todo o país. Quando um cliente não paga uma fatura, atrasada suas contas ou deixa de arcar com as mensalidades de um empréstimo, normalmente ele é cobrado de maneira informal pelo credor.

Se a inadimplência persistir, a empresa credora protesta o título atrasado e solicita que ele seja inserido no cadastro negativo do SPC, deixando este registro à disposição de empresas de todo o país. Nesse momento, o devedor está “com o nome sujo”.

Isso porque, do Oiapoque ao Chuí, o devedor com nome sujo pode ter problemas para realizar compras ou contrair dívidas a prazo, uma vez que a maioria das empresas se recusa a fazer negócios com clientes negativados.

A perda da capacidade de comprar e se endividar é justamente a pressão que motiva o devedor inadimplente a realizar o pagamento de seus débitos atrasados e voltar ao mercado de forma ativa. Se não o fizer, terá de fazer apenas compras a vista ou ampliar sua dívida à base de altos juros.

Isso porque algumas empresas oferecem crédito a clientes negativados no SPC. Porém, o “preço” do nome sujo é exatamente os juros altos dos empréstimos e financiamentos feitos para inadimplentes. Essa é a principal fonte de lucro dessas instituições financeiras especializadas em emprestar dinheiro a endividados.

Apesar da importância do SPC para a economia nacional, estar com o nome sujo nos cadastros de proteção de crédito é uma situação bastante incômoda, que pode causar uma série de transtornos no dia a dia da pessoa negativada. Por isso, neste contexto, se planejar financeiramente antes de cada compra é uma ação fundamental.

SPC e Serasa: qual a diferença?

Uma dúvida bastante comum para muitos clientes diz respeito às diferenças entre o SPC e o Serasa. Bem, ambas as entidades são organizações distintas com serviços ligeiramente diferentes.

No que diz respeito à proteção de crédito, a Serasa Experian concentra uma maior quantidade de detalhes em relação a dívidas bancárias no Sistema Financeiro Nacional. O SPC, por sua vez, tem a sua atuação mais voltada para a área do comércio de bens e serviços.

Entretanto, a maioria das informações constantes em um banco de dados também está disponível nos registros do outro. A principal distinção está na atuação das entidades enquanto consultoria de negócio.

Agora que você já entendeu bem sobre o SPC e sua atuação dentro da economia brasileira, ficou mais do que claro que é muito importante não ter seu nome ou CNPJ negativado nos cadastros de proteção de crédito.

Para evitar estas dores de cabeça é preciso sempre se planejar diante de uma decisão financeira importante, além de se manter atento às suas próprias contas o tempo todo.

Acredite: muita gente acaba indo parar no SPC porque esqueceu de pagar boletos de valores minúsculos simplesmente, mesmo tendo o dinheiro na mão, esqueceu de realizar o pagamento.

Quer saber mais sobre finanças pessoais ou sobre os negócios da sua empresa? Acesse o blog Dinheiro Bem Cuidado e fique por dentro!

Rolar para cima