Como a recessão econômica pode afetar as finanças?

Ainda que a pandemia passe antes do previsto, muitas famílias sofrerão com a queda na renda

Anúncios

Ouvimos muito falar de recessão econômica e crises financeiras mundiais, como a de 1929. A previsão de economistas do mundo todo é que a próxima crise deve ser ainda maior que a do anos 20, o que preocupa não só os diretamente envolvidos com a economia mundial, mas qualquer família.

Em 1929, por exemplo, o Brasil era o maior produtor e exportador de café do planeta, tendo como principal comprador os Estados Unidos. Quando a “grande depressão” atingiu a América, a exportação caiu muito, obrigando os produtores do grão a queimar as plantações e ter grandes prejuízos.

Anúncios

Nesta reportagem do portal UOL é possível ter a dimensão do que deixará de ser arrecadado pela economia, mas, existe a comparação de gastos para salvar vidas. Não há um estudo completo e fechado sobre a queda na economia mundial, a única certeza, é que existirá uma recessão.

A economia funciona como um ciclo, que depende de todos os setores para continuar girando.Quando um desses setores para, como o comércio, por exemplo, o alerta é ligado. Por isso alguns países, como o Brasil, lutam tanto contra as medidas de isolamento.

Mas, e na vida das famílias, o que vai mudar uma recessão econômica? As mudanças diretas são visíveis, como o desemprego, a queda salarial e a mudança de hábitos, colocando nestes a prática de economizar e cortar gastos, o que já dissemos aqui no blog.

E a longo prazo, o que acontece? Hoje vamos trazer alguns detalhes de como a recessão irá impactar diretamente a vida das famílias brasileiras e como lidar com isso nos próximos meses.

Anúncios

Impactos diretos

Quando falamos em impacto direto, é aquela diferença que sentimos de imediato. Desemprego, gastos com saúde, queda na arrecadação da empresa, entre outros problemas.

Desemprego

O impacto imediato é a demissão, para muitos casos, principalmente aqueles empregados em pequenas e média empresas. A previsão é que muitas pessoas percam o emprego este ano e isso será sentido por muito tempo. Para lidar com isso, se ainda essa decisão será tomada, faça um plano de emergência e economize tudo o que puder, além é claro, de pensar em alternativas de renda.

Queda nas vendas

Para quem depende de vendas, seja trabalhando para alguma empresa ou sendo dono do próprio negócio, chegou a hora de cair muito a procura, principalmente de produtos não essenciais. O momento é de criar promoções, descontos e associar a marca com ações de prevenção ao novo coronavírus. Seja criativo e posicione sua empresa para vender ainda que o momento seja difícil.

Gastos emergenciais

Uma pandemia assusta muita gente e acaba fazendo com que a imunidade caia. A tendência é que muitas pessoas devam precisar de hospitais e remédios, o que exige grandes gastos de última hora, seja com plano de saúde ou qualquer outra coisa relacionada a saúde.

Impactos indiretos

Neste caso, são impactos econômicos em bolsas, exportações e outros fatores que acabam atrapalhando a nossa vida, como a alta do dólar, por exemplo. Podem parecer impactos distantes, mas que atingem diretamente a vida das pessoas não só agora, mas a longo prazo.

Dólar alto

O valor do dólar está nas alturas, neste momento, valendo R$ 5,32. O dólar aumenta quando o país compra muito e exporta pouco, normalmente. Quem vive de vendas, por exemplo, está sendo altamente impactado por essa alta, principalmente quem vende produtos importados.

Setores que vivem de viagens internacionais, como as agências de viagem também estão sendo diretamente afetadas pelo novo coronavírus e alta do dólar, que impede até de comprar passagens antecipadas, por exemplo. Promoções malucas são oferecidas, mas, não resolve.

Falta de grana

Muitas pessoas estão tendo que gastar o dinheiro que guardou por anos para lidar com perdas financeiras ou redução de renda. A longo prazo, será impactado, já que a reserva de emergência vai ser quase extinta e por enquanto não terá como ser reposta durante a crise. Falências, mudança de classe social e outras perdas devem ser esperadas.

Queda na bolsa e petróleo

É difícil imaginar que esses quedas impactam a nossa vida, mas para quem tem investimentos, por exemplo, é uma época de muita cautela. Ainda que a queda no petróleo barateie os combustíveis, muita gente precisa da alta para manter os investimentos rendendo.

Nesta reportagem você pode entender melhor como a queda na bolsa influencia bastante, mesmo que indiretamente na vida de muitas pessoas. Ainda que demonstra uma queda nos combustíveis, isso demora muito para acontecer, então, pagaremos mais caro como sempre ainda que o mercado demonstre que não.

Saúde mental

Não são impactos indiretos ou diretos economicamente falando, mas, nossa saúde mental já está sendo influenciada indiretamente e diretamente. Perdas financeiras, gastos de última hora, falência, tudo isso sobrecarrega a mente, sem falar do medo que existe de encarar uma doença tão grave.

Como lidar com a recessão?

É hora de respeitar o valor que o dinheiro tem e entender que os próximos meses, ou anos, serão de muita dificuldade econômica. A economia mundial vai começar a normalizar de forma gradativa, isso porque estamos em pleno pico da doença em países importantes do mundo, como os Estados Unidos, que amargam muitas mortes pela doença.

Para começar a lidar com isso, avalie o estado financeiro da sua empresa ou da família. Observe o que pode ser cortado agora mesmo, para se preparar para o futuro. Pense em alternativas de renda extras e reduza o que puder na empresa, que provavelmente, estará fechada ou com vendas menores.

Rolar para cima