Portal de Economia e Finanças

Contas em atraso: qual a melhor opção para sair do vermelho?

0

Se você está começando o ano com suas contas em atraso, esse post é para você.

Publicidade

Nesse post, falarei como você pode começar a pagar as suas contas passo a passo e assim, lhe ajudar a melhor a sua gestão financeira.

Publicidade

Boa leitura!

Contas em atraso – Qual a melhor opção para sair do vermelho?

contas em atraso

1 – Entenda qual é o seu problema:

Não vai ter jeito, a primeira coisa que você precisa fazer para sair das suas contas em atraso é encarar as suas dívidas.

Ou seja, você precisa descobrir exatamente como está a sua atual situação.

É natural que ao longo do tempo, algumas despesas acabam crescendo mais que as outras devido a conta com os juros.

Publicidade

Portanto, você vai precisar ligar para as empresas que deve e saber qual é o valor da sua dívida.

Esse comportamento vai fazer com que você conheça o tamanho do seu problema e pense nas estratégias necessárias para resolver o problema.

Publicidade

Para que possa entender mais sobre os valores, faça da seguinte maneira:

Liste primeiro todas as suas dívidas, por exemplo:

  • Empréstimos;
  • Cheque especial;
  • Financiamentos, etc.

Agora anote os detalhes das suas dívidas:

  • Anote os valores das parcelas;
  • Taxas de juros cobradas;
  • Número restante de prestações;
  • Valor total de despesas.

A partir daí você consegue ver o quanto o seu orçamento mensal está comprometido.

Publicidade

Ou seja, você vai conseguir descobrir se você vai conseguir pagar o valor enviado até o final do parcelamento.

Fique de olho nas parcelas com taxas de juros mais altas, pois, essas são as contas que podem crescer rapidamente.

– Contas em atraso – Compreenda a sua renda mensal:

Agora que você sabe quais são as suas contas, você precisa entender como funciona a sua renda mensal, afinal de contas, vai ser com esse dinheiro que você vai pagar as suas contas.

Anote em algum caderno o quanto você gasta no dia a dia e o quanto você ganha.

Se você está trabalhando em regime CLT, dê uma olhada no seu holerite e veja o valor do seu salário líquido.

Mas, se você é autônomo ou empreendedor, o ideal é sempre considerar a sua renda mensal, já que o valor pode acabar variando.

Em seguida, comece a separar quais serão os seus gastos fixos, aqueles que você tem todo o mês e não pode ficar sem.

Alguns desses pode ser:

  • Aluguel;
  • Condomínio;
  • Supermercado;
  • Contas de luz;
  • Água.

Depois disso, você pode listar as suas contas variáveis que podem ser cortadas em situações de emergência, como:

  • Passeios no shopping;
  • Restaurantes;
  • Assinaturas de serviços de streaming, etc.

– Corte alguns gastos de maneira inteligente:

Agora para que você possa pagar as contas em atraso é cortando os gastos desnecessários.

Entretanto, essa é uma etapa que não é nem um pouco simples, afinal de contas, nem sempre é fácil encontrar o que é essencial e o que não é.

Então, como fazer essa conta e não confundir os desejos e necessidades?

Existe uma estratégia que consiste em você classificar os seus gastos dentro de quatro categorias e depois avaliar a sua real necessidade de cada um e eliminar o que pode estar prejudicando o seu orçamento.

Ele funciona da seguinte maneira:

Grupo A – alimentação – Aqui entram gastos que envolvem comida, como as compras do supermercado, almoço fora de casa e lazer.

Classe – B – básico – Essas são as despesas obrigatórias e que não pode faltar na sua casa.

Grupo C – contornáveis – Esses são os itens que fazem da sua vida melhor, mas podem ser cortados nos momentos de emergência.

Grupo D – desnecessários – Esses são os gastos que precisam sair do seu orçamento o mais rápido possível.

 

No grupo C, você deve deixar essas contas no amarelo. Elas podem ser mantidas sem pesar no orçamento, quando passarem a pesar, devem ser cortadas.

Agora, você deve começar cortando os gastos a partir da categoria D, se ainda for necessário, corte os gastos do grupo C.

– Defina o quanto você vai poder pagar de dívidas:

Agora que você sabe o quanto ganha por mês, quais são as suas dívidas e quais são as prioridades, você precisa comparar o quanto tem no mês com o quanto tem de dívidas.

O ideal é que você não comprometa mais de 30% do seu orçamento par quitar as dívidas.

Isso é importante porque no meio do caminho pode acabar acontecendo alguns imprevistos, levando você ao endividamento novamente.

Portanto, se você recebe R$ 3 mil por mês, por exemplo, não pode comprometer mais do que R$ 900 de contas.

– Negocie:

Verifique agora quais são as dívidas que você conseguiria pagar com o dinheiro que economizou.

As dívidas que são prioridades são aquelas que têm os juros mais altos.

Depois disso, entre em contato coma  empresa e tente negociar os juros para poder quitar as dívidas.

Normalmente acontecem feirões entre as empresas, que são ótimas oportunidades para você conseguir melhores condições e eliminar os débitos.

 

Agora, comece a pagar as suas contas em atraso e faça uma reserva de emergência para que não passe mais por essa situação.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.