Boa notícia: margem dos empréstimos consignados foi ampliada

Publicidade

Uma boa notícia para aposentados e pensionistas que estão precisando de crédito a juros baixos: a margem dos empréstimos consignados foi ampliada para 40%.

Para oficializar a decisão, o presidente Jair Bolsonaro editou a Medida Provisória 1006/20, publicada no Diário Oficial da União nesta sexta-feira (2).

Publicidade

Se você é beneficiário do INSS e está com dívidas atrasadas ou necessitando de dinheiro emprestado para limpar seu nome, a novidade veio em boa hora.

Quer saber tudo sobre empréstimo consignado e o que vai mudar com a ampliação da margem consignável? É o que vamos falar neste artigo. Continue lendo!

Publicidade

Empréstimo consignado: o que é?

Empréstimo consignado
Saiba tudo sobre empréstimo consignado!

O empréstimo consignado é uma modalidade de crédito exclusiva para aposentados e pensionistas do INSS, militares das forças armadas, trabalhadores que tenham carteira assinada e servidores públicos.

A grande diferença é que as prestações deste empréstimo são descontadas diretamente da folha de pagamento ou do benefício previdenciário do solicitante.

Sendo assim, como os credores não correm o risco de tomar o famoso “calote”, as taxas de juros costumam ser bem mais atrativas que nos outros tipos de operações.

Publicidade

Inclusive, devido ao novo coronavírus, o Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) reduziu a taxa de juros máxima do consignado de 2,08% para 1,8% ao mês.

E a margem consignável?

Como as parcelas do empréstimo consignado são abatidas diretamente da renda da pessoa, existe uma porcentagem máxima que ela pode comprometer do salário ou do benefício que recebe, na hora de solicitar a operação.

Esse limite é chamado de margem consignável e existe para que o solicitante não se complique financeiramente.

Publicidade

Por exemplo, se um aposentado está precisando de um empréstimo e tem uma aposentadoria de R$ 3.000, caso a margem consignável seja de 30%, o valor máximo das parcelas deverá ser de R$ 900.

O que vai mudar?

Com a nova Medida Provisória publicada no último dia 02 de setembro, os aposentados e pensionistas terão a margem consignável ampliada de 35% para 40% em empréstimos consignados realizados até o dia 31 de dezembro de 2020.

É importante ressaltar que, desses 40%, 5% são destinados exclusivamente para saques ou pagamentos de faturas ou dívidas do cartão de crédito.

Em resumo, com a crise econômica trazida pelo novo coronavírus, a novidade pode ser uma ótima opção, já que permite pegar mais dinheiro emprestado a juros baixos para quem está precisando de limpar o nome, por exemplo.

Lembrando que, em julho deste ano, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) já havia determinado que as instituições financeiras poderiam dar uma carência de até 90 dias para descontar a primeira parcela dos empréstimos consignados.

Mas tome cuidado!

Se por um lado o aumento da margem consignável permite conseguir mais crédito, por outro, maior será o valor descontado do seu rendimento todo mês.

Por isso, é muito importante manter o foco e um bom planejamento financeiro para não acabar se complicando ainda mais.

Antes de confirmar a solicitação, compare as taxas de juros de cada banco, faça uma simulação para saber quanto você pagará ao final do empréstimo e fique de olho no CET (Custo Efetivo Total), onde devem constar todos os custos envolvidos na operação.

Caso você esteja pegando dinheiro emprestado para pagar dívidas e limpar o seu nome, use o dinheiro verdadeiramente para isso.

Aliás, o empréstimo consignado é uma ótima opção para quem quer “trocar uma dívida por outra”. Sendo assim, dê preferência para quitar aqueles débitos que tenham os maiores juros, como os do cartão de crédito.

Para receber outras dicas sobre empréstimos, investimentos, bancos digitais e cartões de crédito, não se esqueça de ler os outros artigos presentes aqui no Dinheiro Bem Cuidado, o seu portal de finanças.

Quer mais conteúdo? 

Deixe um comentário