Dívida da casa própria: confira 6 dicas para renegociar

Publicidade

Uma grande parcela dos brasileiros consegue realizar o sonho da casa própria através de financiamento imobiliário. No entanto, esse sonho muitas vezes acaba virando “pesadelo” quando surgem as crises financeiras e não há reservas para honrar a dívida da casa própria.

E a dúvida que fica é: o que eu posso fazer para não perder a minha casa e colocar as prestações em ordem? Existem várias maneiras de renegociar a dívida da casa própria e tentar um acordo vantajoso com as instituições financeiras.

Publicidade
Publicidade

Porém, tudo deve ser e feito com cautela e bem organizado. Confira abaixo 8 dicas para renegociar a dívida de financiamentos e saiba como contornar esta situação:

O que você procura?

CARTÃO DE CRÉDITO
 
APROVAÇÃO NO CARTÃO
 
CARTÃO PARA NEGATIVADO
       

Dicas para renegociar a dívida da casa própria

divida casa própria
Dicas para renegociar a dívida da casa própria

Evite ao máximo a inadimplência

Nos contratos de financiamento imobiliário, basta o atraso de três parcelas do imóvel para ser considerado inadimplente. Contudo, o que mais preocupa nesta situação é a possibilidade perder o imóvel para o banco.

Publicidade

Caso isso aconteça, todo dinheiro que você investiu poderá ser perdido. Por isso, a primeira dica é evitar ao máximo a inadimplência! Se você tem plena consciência de que não vai conseguir honrar as parcelas do financiamento, entre em contato com o banco o mais breve possível para renegociar.

O ideal é procurar o banco antes mesmo de atrasar a primeira parcela, pois assim terá mais poder de barganha para renegociar condições mais justas. Afinal, você não atrasou nada e está com as parcelas do seu financiamento em dia. E isso será um ponto a seu favor.

Analise outras opções para cobrir a dívida da casa própria

Se você não possui uma reserva imediata para cobrir gastos com a dívida da casa própria num momento de dificuldade financeira, você pode tentar outras opções para evitar que haja atraso ou inadimplência. Veja os exemplos a seguir.

Seguro MCMV

Se você fez o financiamento da sua casa própria por meio do programa Minha Casa Minha Vida, é possível acionar o seguro do imóvel em casos de desemprego, por exemplo. Assim, o seguro cobre até 36 parcelas do imóvel e você não ficará inadimplente.

Utilize o FGTS para abater prestações

Você também pode utilizar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para abater parte da dívida e quitar algumas parcelas do financiamento. Você pode amortizar 80% de até 12 prestações do imóvel utilizando o saldo do FGTS.

Veja também:

CARTÃO DE CRÉDITO
 
APROVAÇÃO NO CARTÃO
 
CARTÃO PARA NEGATIVADO
       

Vale ressaltar que a utilização desse fundo só é possível em contratos de financiamento que foram assinados pelo Sistema Financeiro Habitação (SFH).

Aproveite os momentos de crise econômica

Quando o país enfrenta uma crise econômica, é mais fácil renegociar dívidas da casa própria com instituições financeiras. Isso acontece porque muitas pessoas estão com dificuldades de pagar as prestações do imóvel ao mesmo tempo.

Assim, não é vantajoso para o banco recuperar centenas de milhares de imóvel. Afinal, poderia não haver demanda para vender esses imóveis ou precisar vender a um preço muito menor do que o seu valor de mercado. E é esse prejuízo que eles vão querer evitar.

Sendo assim, essa é a oportunidade perfeita para:

  • Renegociar o saldo devedor;
  • Fazer a revisão do contrato;
  • Diminuir os juros do financiamento;
  • Prolongar o tempo de financiamento;
  • Entre outros.

Se houver resistência por parte da instituição financeira em renegociar as dívidas do financiamento da casa própria, você pode optar pela portabilidade do financiamento. Falaremos disso mais adiante!

Antes vamos falar outras opções como esticar as parcelas, pedir prazos de carência e fazer a incorporação das parcelas. Veja abaixo.

Tente esticar as parcelas do financiamento da casa própria

Uma boa opção para renegociar sua dívida de financiamento imobiliário é tentar esticar as parcelas. Vamos supor que falta um saldo de 50 mil em 60 parcelas. Você poderia esticar para umas 80 parcelas, por exemplo. Isso ajudaria a suavizar o valor das parcelas e facilitaria o pagamento das prestações.

Peça prazo de carência

Os bancos também oferecem em algumas situações um prazo de carência para pagamentos das prestações do financiamento imobiliário. Esse prazo varia de banco para banco, podendo chegar até 90 dias.

Dessa forma, pedindo esse prazo de carência, o cliente pode deixar de pagar a prestação do financiamento por um período sem que isso acarrete em penalidades, cobrança de juros ou multas, por exemplo.

Incorporação das parcelas

Outra opção para renegociar a dívida da casa própria é fazer a incorporação das parcelas. Isso significa que as parcelas em atraso serão “anexadas” no restante da dívida, aumentando o valor mensal das parcelas a serem pagas.

Essa é uma opção que traz mais ônus para o cliente. Contudo, cabe a você analisar se o aumento do valor das parcelas caberá no seu orçamento familiar.

Cogite a portabilidade do financiamento da casa própria

Caso o banco endureça as regras e não haja um acordo com o qual se sinta confortável em aceitar, você pode pedir a transferência do financiamento para outra instituição financeira. Ou seja, fazer a portabilidade da dívida da casa própria.

Isso significa que o banco comprará a dívida sobre o seu financiamento. Assim, o banco vai estabelecer um novo contrato de financiamento com o restante do saldo devedor do imóvel.

Seria como iniciar um novo financiamento apenas com o que falta para pagar do imóvel. Essa é uma boa opção para quem atrasou as parcelas e busca melhores condições para o seu financiamento da casa própria.

Quando vender o imóvel

Por fim, se nenhuma das opções acima foi viável, você pode vender o imóvel e recuperar ao menos o que você já pagou nas prestações. Claro, existe a possibilidade de entrar com ações na justiça para ganhar tempo.

No entanto, isso não te dá nenhuma garantia sobre o imóvel e a dívida continuará crescendo. Se vender o imóvel, você poderá utilizar o valor recebido para dar entrada em outra casa que se enquadre nas suas condições atuais e no seu orçamento.

Vale ressaltar que pessoas que tem o imóvel recuperado pelo banco acabam tendo dificuldades em conseguir novos financiamentos. Por isso, é importante colocar todas as opções na balança e analisar qual é a melhor solução para você sair deste problema.

Gostou deste conteúdo? Leia também esse outro artigo e saiba porque a educação financeira é tão importante em nossa vida!