FGTS: saiba quando pode sacar o dinheiro

O FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) é um direito garantido a todos os trabalhadores que são registrados no regime de CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), onde o empregado deposita um valor equivalente de 8% a 12% do salário do trabalhador e é obrigatório.

Desta maneira, esse dinheiro do FGTS, como o próprio nome sugere, é um fundo para os trabalhadores, uma garantia para a aposentadoria ou até mesmo para quando comprar um imóvel.

Além disso, em caso de demissão sem justa causa, também terá acesso ao FGTS. Mais recentemente, também passou a ser permitido o saque deste fundo para casos de problemas graves de saúde.

Saque extraordinário do FGTS

No entanto, de 2018 para cá, o governo passou a permitir saques também do FGTS durante alguns períodos do ano, mas não com o valor integral, apenas uma parte. Assim, no mês do aniversário e em datas específicas, se tornou possível sacar o FGTS.

Inclusive, para quem é correntista da Caixa Econômica Federal, o saque extraordinário do FGTS é feito de forma automática, com o dinheiro sendo transferido para a conta. Entretanto, nem todo mundo quer sacar o FGTS, pois, entende que é um benefício para se usar após a aposentadoria.

Neste caso, é possível, pelo aplicativo do FGTS ou pelo site da conta corrente, selecionar a opção para não sacar o dinheiro. Desta maneira, o valor do FGTS vai continuar normalmente em sua conta.

Como saber o prazo do saque extraordinário?

Ainda pelo aplicativo da Caixa ou pelo site, é possível conferir as datas para o saque extraordinário do FGTS. E essas datas variam também de acordo com a data de aniversário do beneficiário. Logo, existe um período fixo para fazer o saque.

Por exemplo, quem tinha direito e não fez até agora, poderá fazer no ano que vem apenas. E, independentemente de ter sacado ou não neste ano, poderá sacar o FGTS no ano seguinte.

Outra coisa importante a se ressaltar é que, naturalmente, o saque do FGTS só pode acontecer se a pessoa tiver fundo suficiente para isso. Caso contrário, poderá sacar apenas o valor que tiver na conta corrente.

Atualmente, o FGTS rende menos que a caderneta de poupança, por isso, muitos preferem sacar e aplicar, o que também é uma alternativa. Além disso, se tiver mais de uma conta do FGTS, os valores a serem liberados serão sempre das contas com o menor valor disponível.

 

 

 

CAIXA TEM - INFORMAÇÕES: