INSS: saiba porque é tão importante contribuir regularmente

O INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) é o órgão governamental que cuida da aposentadoria e também das garantias individuais para quem, por exemplo, precisa se afastar do serviço.

Neste caso, o INSS também precisa da contribuição dos beneficiários para sobreviver. Consequentemente, é uma entidade que se torna essencial para garantir o bem-estar do cidadão, que um dia vai precisar se aposentar.

Como contribuir para o INSS?

Primeiramente, quem começa a trabalhar registrado, no regime de CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), não precisaria se preocupar, pois, as pessoas já automaticamente garantem esse direito por conta do empregador.

Assim, de acordo com a nova regra trabalhista, para se aposentar, tem que ter ao menos 62 anos, se for mulher, ou 65 anos, se for homem. Mas, também, tem que ter ao menos 15 anos de contribuição.

Por isso, é muito importante conseguir sempre manter o INSS em dia, para quando precisar não ficar sem o auxílio. Caso não seja registrado em um emprego, sendo um profissional autônomo, é possível também fazer um pagamento à parte.

Desta maneira, precisa ir a uma agência do INSS e pedir um carnê para contribuir. Neste caso, o valor mensal poderá variar de acordo com sua capacidade de pagamento.

Isso porque existe a contribuição mínima para se aposentar com um salário mínimo e também a contribuição para receber o teto da aposentadoria, que é mais de R$ 7.000. Para receber esse teto, é preciso pagar, no mínimo, R$ 1.400 por mês ao INSS.

MEI também paga INSS

Agora, uma outra possibilidade de contribuir para o INSS é sendo MEI (Microempreendedor Individual). Neste caso, a pessoa vai pagar 5% do valor do salário mínimo todo mês, podendo até emitir nota fiscal. No entanto, se não pagar, pode perder o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoal Jurídica).

Então, para esses casos, eles vão também garantir o tempo de serviço e vão poder se aposentar como MEI. Contudo, se quiser ter uma aposentadoria maior que o salário mínimo, também terá que complementar o pagamento do chamado DAS. Assim, teria que acrescentar mais 15%, além dos 5%, para poder ter um valor maior.

Por fim, o INSS também é importante em caso de doença, pois, se tiver a contribuição em dia, poderá se afastar do serviço e se tratar, após receber um laudo pericial do médico do órgão. Para quem não contribui, fica sem nenhum tipo de cobertura. Por isso, é tão importante.

 

 

CAIXA TEM - INFORMAÇÕES: